OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES

O Observatório das Metrópoles é um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) que trabalha de forma sistemática e articulada sobre os desafios metropolitanos colocados ao desenvolvimento nacional, tendo como referência a compreensão das mudanças das relações entre sociedade, economia, Estado e os territórios conformados pelas grandes aglomerações urbanas brasileiras.

Atualmente, a equipe do INCT Observatório das Metrópoles congrega 282 pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior, distribuídos pelos 16 núcleos regionais da rede (saiba mais sobre a Rede Nacional). Além do campo acadêmico, o Observatório reúne instituições e pesquisadores dos campos governamental e não governamental. No total, aproximadamente 400 pesquisadores colaboram na rede.

Nessa perspectiva, o INCT Observatório das Metrópoles procura aliar suas atividades de pesquisa e ensino com a realização de atividades que contribuam para a atuação dos atores governamentais e da sociedade civil no campo das políticas públicas voltadas para o urbano-metropolitano.

O Núcleo RMBH está sediado no Lab-Urb da Escola de Arquitetura da UFMG e é constituído de 21 pesquisadores, além de estudantes de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado), congregando docentes e pesquisadores da UFMG, PUC-Minas, UFOP e Fundação João Pinheiro.

PESQUISADORES

Pesquisadores doutores, docentes, com participação direta nos projetos de pesquisa, seja como pesquisador/a ou como orientador/a.

– Alexandre Magno Alves Diniz (PUC Minas)

– Ana Marcela Ardila Pinto (Professora Doutora UFMG)

– André Mourthé de Oliveira (UFOP)

– Bárbara Lúcia Pinheiro de Oliveira França (Bolsista de Pós-Doutorado)

– Claudia Julia Guimaraes Horta (FJP/Escola de Governo)

– Daniel Medeiros de Freitas (UFMG)

– João Bosco Moura Tonucci Filho (UFMG)

– Juliana Nazaré Luquez Viana (UFMG)

– Júnia Maria Ferrari de Lima (UFMG)

– Jupira Gomes de Mendonça (UFMG)

– Léa Guimarães Souki (PUC Minas)

– Luciana Teixeira de Andrade (PUC Minas)

– Marcos Felipe Sudré Saidler (UFMG)

– Natália Aguiar Mol (UFMG)

– Renato Barbosa Fontes (Bolsista de Pós-Doutorado)

– Rita de Cássia Lucena Velloso (UFMG)

– Rogerio Palhares Zschaber de Araújo (UFMG)

– Thiago Canettieri de Mello e Sá (UFMG)

Pesquisadores parceiros que desenvolvem/coordenam projetos de forma recorrente no âmbito do Observatório das Metrópoles; mestrandos; doutorandos, mesmo que não orientados por pesquisadores do Núcleo, quando em projeto de pesquisa associado ao Observatório das Metrópoles; bolsistas de pós-graduação.

– Ana Carolina Maria Soraggi (Doutoranda UFMG)

– Clara Silberschneider (Bolsista Mestre)

– Elisa Porto Marques (Mestranda UFMG)

– Helena Carvalho Coelho (Doutoranda UFMG)

– João Vitor Leite Rodrigues (Mestrando UFMG)

– Laís Grossi de Oliveira (Doutoranda UFMG)

– Laura Fonseca de Castro (Doutoranda UFMG)

– Mariana Bubantz Fantecelle (Mestranda, Bolsista no projeto)

– Marina Sanders Paolinelli (Doutoranda UFMG)

– Pedro Baccarini Prazeres Lopes (Bolsista Graduado)

Renata de Leorne Salles (Doutoranda PUC Minas)

– Taís Freire de Andrade Clark (Doutoranda UFMG)

Estudantes de graduação, com Bolsa de Iniciação Científica, Bolsa de Extensão ou voluntários.

– Gabriela Resende Coelho (Bolsista de Iniciação científica UFMG)

– Gabriel da Cruz Nascimento (Bolsista de Iniciação científica UFMG)

– Viviane Fernandes Ribeiro (Bolsista de Iniciação científica UFMG)

Pesquisadores com participação eventual no projeto (docentes, doutores e doutorandos); voluntários.

– Carlos Alberto Vasconcelos Rocha (Professor Doutor PUC Minas)

– Carolina Portugal Gonçalves da Mota (FJP/Escola de Governo)

– Hamilton Moreira Ferreira (Professor Doutor UFMG)

– Juliana Gonzaga Jayme (Professora Doutora PUC Minas)

– Ana Clara Vargas de Melo (estudante de graduação, voluntária)

– André Henrique de Brito Veloso (Doutorando UFMG)

– Bruna Rodrigues Sousa e Silva (estudante de graduação, voluntária)

– Carolina Amaral Guimarães de Lima Souza (Bolsista de Extensão UFMG)

– Cintya Guedes Ornelas (estudante de graduação, voluntária)

– Clarice Flores Fialho (Bolsista de Extensão UFMG)

– Clarissa dos Santos Veloso (Doutoranda PUC Minas)

– Emília Teixeira Mendes Oliveira (estudante de graduação, voluntária)

– Evandro Luis Alves (Mestrando UFMG)

– Fábio Luís Gonçalves Pinto (estudante de graduação, voluntário)

– Gemilson Soares da Silva Segundo (Mestre, Bolsista)

– Guilherme Lara Camargos Tampieri (Mestrando UFMG)

– Jordan de Oliveira Ferreira Cabral (Bolsista de Iniciação Científica UFMG)

– José Iuri Alcântara dos Santos (estudante de graduação, voluntário)

– Júlia Ávila Franzoni (Doutoranda UFMG)

– Juliana Teixeira Gonçalves (Mestre, voluntária)

– Laura de Paula e Silva (Bolsista de Extensão UFMG)

– Leonardo Batista de Andrade (Bolsista de Extensão UFMG)

– Lívia Matos Lara de Assis (Mestranda PUC Minas)

– Lucas Yuri Alves Zanatta (Bolsista de Extensão UFMG)

– Luciane Mitraud de Carvalho (Mestranda UFMG)

– Luísa Lopes Greco (Graduada, Bolsista)

– Marcelo Cintra do Amaral (Pesquisador Doutor, ONG Nossa BH)

– Maria Isabel Tamião Santana (Bolsista de Extensão UFMG)

– Maria Luisa Machado Martins (Bolsista de Iniciação Científica UFMG)

– Maria Moura Soalheiro (Bolsista de Iniciação Científica UFMG)

– Marina Abreu Torres (Mestre, Bolsista)

– Natália Alves da Silva (Mestre, voluntária)

– Paula de Senna Figueiredo (Mestranda PUC Minas)

– Paulo Henrique Góes Pinto (Mestrando UFMG)

– Raissa Rocha Assunção Oliveira (Mestranda PUC Minas)

– Renan Pereira Almeida (Professor Doutor UFSJR)

– Sofia Santos Lages (Mestranda UFMG)

– Sophia Guarnieri (Bolsista de Iniciação Científica – UFMG)

– Tainá Viana Alves (estudante de graduação, voluntário)

– Thaís Mariano Nassif Salomão (Mestre, Bolsista)

– Thêmis Amorim Aragão (Pesquisadora voluntária)

– Túlio Queiróz de Freitas (Graduado, voluntário)

PESQUISA ATUAL

As metrópoles e o direito à cidade: conhecimento, inovação e ação para o desenvolvimento urbano

Programa de Pesquisa da Rede Observatório das Metrópoles 2015-2020 - CHAMADA PÚBLICA MCTI/CNPQ/CAPES/FAPSNº 16/2014 - PROGRAMA INCT

LINHA 1 - Metropolização e o desenvolvimento urbano: dinâmicas, escalas e estratégias

Esta linha de pesquisa volta-se a compreender as dinâmicas de constituição dos espaços metropolitanos, seu poder de articulação e polarização do território nacional e os novos arranjos espaciais e suas conexões com as transformações de suas bases produtivas. O reconhecimento da diversidade de dinâmicas que acionam o processo de metropolização no país e das configurações socioespaciais resultantes é fundamental para a construção de estratégias adequadas de desenvolvimento urbano e regional que assegurem o efetivo direito à cidade. A organização do espaço urbano metropolitano também será analisada a partir da dinâmica econômica, tanto na perspectiva da importância que estes espaços apresentam para o desenvolvimento econômico, como o modo que o próprio desenvolvimento impacta na sua organização interna.

- Projeto Organização do espaço urbano-metropolitano | EM ANDAMENTO

Trata-se de aprofundar as hipóteses explicativas para as semelhanças e diferenças nas alterações e permanências na estrutura social e socioespacial das principais RMs brasileiras, contribuindo para a “compreensão das dinâmicas de constituição dos espaços metropolitanos e os novos arranjos espaciais e suas conexões com as transformações de suas bases produtivas”. São, pois, objetivos do projeto avançar na compreensão da dinâmica de estruturação das metrópoles brasileiras e “seu poder de articulação e polarização do território nacional”, analisando suas semelhanças e diferenças. SAIBA MAIS »

Pesquisadores: Luciana Teixeira de Andrade, Alexandre Magno Alves Diniz, Jupira Gomes de Mendonça

- Projeto Economia metropolitana e desenvolvimento regional: mudanças da base produtiva e mercado de trabalho | EM ANDAMENTO

Busca-se aprofundar a investigação da formação econômica da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) a partir do estudo da evolução histórica e das perspectivas contemporâneas de sua estrutura produtiva e do seu mercado de trabalho. Para se avaliarem as transformações e as permanências na dinâmica econômica da RMBH, procederemos à análise de tais transformações à luz das políticas econômicas que estavam e estão por trás dos momentos definidores da estrutura produtiva regional atual. Discutiremos também as transformações econômicas recentes, sob o impacto da reestruturação produtiva e da globalização, assim como alguns aspectos do mercado de trabalho em suas nuances setoriais, em diálogo com indicadores socioeconômicos selecionados. SAIBA MAIS »

Pesquisadores: André Mourthé de Oliveira, Claudia Julia Guimaraes Horta

LINHA 2 - Direito à cidade na metrópole: bem-estar urbano e oportunidades

O resultado do censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, mostrou que a população urbana do país correspondia a 84,4% e que parcela expressiva desse contingente populacional residia nas principais regiões metropolitanas do país. Esse resultado expressava tendência observada nos censos anteriores de que a população brasileira, cada vez mais, passou a viver nas cidades. Ao considerar que ingressamos numa sociedade urbana, o direito à cidade a todas as pessoas coloca-se como condição fundamental para construção de uma sociedade menos desigual, baseada na ampliação da cidadania e cada vez mais democrática. É neste sentido que os projetos que fazem parte dessa linha de pesquisa procuram aprofundar as dimensões do direito à cidade referentes ao bem estar urbano e às oportunidades sociais e econômicas das principais metrópoles brasileiras.

- Projeto Direito à Cidade e Mobilidade Urbana | EM ANDAMENTO

Explorar a problemática da mobilidade urbana nas metrópoles brasileiras, diagnosticando suas principais transformações no que diz respeito aos motivos das viagens, aos meios disponíveis e às condições de rapidez, conforto e segurança dos deslocamentos. Investigar o impacto do padrão de mobilidade urbana vigente sobre o meio ambiente. Acompanhar o desenho e implantação das políticas de mobilidade urbana nos diferentes níveis de governo.

Pesquisadora: Ana Marcela Ardila Pinto

Ex-pesquisadores: Marcelo Cintra do Amaral, André Henrique de Brito Veloso, Guilherme Lara Camargos Tampieri, Helena Carvalho Coelho, Paulo Henrique Góes Pinto

VELOSO, A. H. B.; DOMINGUES, L. B. A luta pela ampliação do transporte público em um cenário de crise sistêmica: o caso do “Busão da Comunidade” no Aglomerado da Serra, Belo Horizonte.  In: RIBEIRO, L. C. Q.; ALVES, E.; RODRIGUES, J. M.; SOUZA, K. A.; NOVAES, P. R.; JAENISCH, S. T.; VELASCO, T.; BORBA, T. R. (Org.). Congresso Observatório das Metrópoles 20 Anos – As Metrópoles e o Direito à Cidade: dilemas, desafios e esperanças, 2018. Anais […] 1 ed. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2019. p. 158-173.

TAMPIERI, G. L. C.; SANTOS, D. P. A mobilidade por bicicletas na RMBH: uma análise sobre as (não) políticas de Belo Horizonte, Contagem e Pedro Leopoldo. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Tempos em/de transformação – Utopias, 18., 2019, Natal; VALENÇA, M. M.; MEDEIROS, S. R. F. Q. (Org.). Anais […]. Natal: EDUFRN, 2019.

AMARAL, M. C.; TAMPIERI, G. L. C. Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte: uso de indicadores para incidência da sociedade civil na política pública de mobilidade urbana. In: RIBEIRO, L. C. Q.; ALVES, E.; RODRIGUES, J. M.; SOUZA, K. A.; NOVAES, P. R.; JAENISCH, S. T.; VELASCO, T.; BORBA, T. R. (Org.). Congresso Observatório das Metrópoles 20 Anos – As Metrópoles e o Direito à Cidade: dilemas, desafios e esperanças, 2018, Rio de Janeiro. Anais […]. 1 ed. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2019. p. 112-126.

TORRES, M. A. Neoliberalização nos serviços de transporte por ônibus: imobilidade e exclusão social em Ribeirão das Neves – RMBH. In: RIBEIRO, L. C. Q.; ALVES, E.; RODRIGUES, J. M.; SOUZA, K. A.; NOVAES, P. R.; JAENISCH, S. T.; VELASCO, T.; BORBA, T. R. (Org.). Congresso Observatório das Metrópoles 20 Anos – As Metrópoles e o Direito à Cidade: dilemas, desafios e esperanças, 2018, Rio de Janeiro. Anais […]. 1 ed. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2019. p. 127-142.

- Projeto Direito à cidade, habitação e mercado imobiliário

Este projeto pretende investigar como a forma empresarial de provisão da moradia, associada aos mecanismos de financiamento e regulação estatais, tem influenciado na organização do espaço nas metrópoles brasileiras, buscando relacionar a natureza dos agentes produtores e financiadores, as famílias atendidas, a localização/acessibilidade dos empreendimentos e a qualidade das habitações.

Coordenação: João Bosco Moura Tonucci Filho, Daniel Medeiros de Freitas

Desigualdades Urbanas: reflexões sobre o acesso à terra e à moradia na região Metropolitana de Belo Horizonte | CONCLUÍDO

Pesquisadores: Hamilton Moreira Ferreira e Maria Luisa Machado Martins 

Direito à cidade, mercantilização e financeirização da terra na periferia | EM ANDAMENTO

Pesquisadores: João Bosco Moura Tonucci Filho, Daniel Medeiros de Freitas, Sophia Guarnieri

Direito à cidade: capacidade institucional e aparato normativo para implementação de políticas, programas e projetos de urbanização de favelas: avaliação do ciclo recente | CONCLUÍDO

Avaliação do ciclo recente de políticas (programas e projetos) de urbanização de favelas, no que diz respeito à capacidade institucional e estrutura jurídico-normativa do Estado.

Pesquisadores: Ana Carolina Maria Soraggi (Coordenação), Carolina Portugal Gonsalves da Motta, Sophia Guarnieri, Jupira Gomes de Mendonça

A luta pela moradia entre a casa própria e a posse vulnerável | CONCLUÍDO

Esse trabalho tem como objetivo investigar a transformação da habitação em mercadoria e os esforços realizados contra esse processo, direcionados a consideração da habitação como um direito, mobilizados a partir do diálogo entre atores da luta pela moradia e o Estado. Considerando o Estado como um campo de forças, onde diferentes visões sobre a habitação entram em disputa, busca-se investigar a atuação estatal na promoção de políticas habitacionais em diversos países e contextos históricos. Procura-se, nesse sentido, situar as políticas habitacionais brasileiras – direcionadas historicamente à produção da casa própria e à mitigação da informalidade – dentro do contexto global, pautado pelo avanço do neoliberalismo, da privatização, da financeirização e da precarização das políticas públicas.

Pesquisadora: Marina Sanders Paolinelli

PAOLINELLI, M. S. Em meio à crise na política habitacional, as lutas por transformação: O coletivo Habite a Política e os desafios recentes na luta pelo direito à moradia em Belo Horizonte. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Tempos em/de transformação – Utopias, 18., 2019, Natal; VALENÇA, M. M.; MEDEIROS, S. R. F. Q. (Org.). Anais […]. Natal: EDUFRN, 2019.

PAOLINELLI, M. S. Desmercantilização da habitação: entre a luta e a política pública. 2018. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Núcleo de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

PAOLINELLI, M. S. Locação social em Belo Horizonte: possibilidades e desafios. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Desenvolvimento, crise e resistência: Quais os caminhos do Planejamento Urbano e Regional?, 17., 2017, São Paulo. Anais […]. São Paulo: ANPUR, 2017.

PAOLINELLI, M. S. Nem com, nem apesar, nem contra o Estado: reflexões sobre a necessidade de reconhecimento de uma política habitacional autônoma e fora dos moldes da propriedade privada individual. In: CASTRO, E. M. R.; ALVES, S. R. (Org.). Seminário Internacional América Latina: políticas e conflitos contemporâneos, 2., 2017, Belém. Anais […]. Belém: NAEA, 2017.

PAOLINELLI, M. S. Neoliberalização do Estado na política habitacional e disseminação da casa própria: retrospectiva crítica e busca por alternativas. Comunicação oral de artigo. In: SERPA, A. S. P. (Coord.). Simpósio Nacional de Geografia Urbana, 15., 2017, Salvador. Anais […]. Salvador: EDUFBA, 2017.

CANETTIERI, T.; PAOLINELLI, M. S. A produção do ambiente construído nas cidades no contexto de crise do capital: o papel das políticas habitacionais. In: CASTRO, E. M. R.; ALVES, S. R. (Org.). Seminário Internacional América Latina: políticas e conflitos contemporâneos, 2., 2017, Belém. Anais […]. Belém: NAEA, 2017.

Parcelamento do solo, renda fundiária e metropolização: o mercado da terra no vetor oeste da RMBH | CONCLUÍDO

Pesquisadora: Sofia Santos Lages

- Projeto Direito à cidade, trabalho e economia social e solidária no contexto metropolitano | CONCLUÍDO

Debater condições de possibilidade para uma trajetória de desenvolvimento urbano-metropolitano de caráter autogestionário para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, a partir de a) análise das mudanças da base produtiva na região no contexto da reestruturação produtiva e de b) esforço etnográfico-urbano para caracterizar e observar criticamente experiências selecionadas do movimento da Economia Popular Solidária – localizadas no universo da produção de pequena escala da economia metropolitana e identificadas com modos de integração econômica distintos de princípios da economia de mercado.

Pesquisadores: Evandro Luis-Alves

- Projeto Estrutura social e reconfiguração das classes sociais nas metrópoles brasileiras | EM ANDAMENTO

Objetiva-se comparar a estrutura social das regiões metropolitanas brasileiras estudadas pelo Observatório das Metrópoles, discutindo suas similaridades e diferenças e levantando hipóteses explicativas acerca dos padrões encontrados.

Pesquisadores: André Mourthé de Oliveira, Claudia Julia Guimaraes Horta

LINHA 3 - Direito à Cidade, Cidadania e Governança Urbana

Esta linha de trabalho está dedicada ao estudo das condições que constrangem a construção de um sistema de governança dos aglomerados urbanos metropolitanos que sejam capazes de promover a justiça social e a cooperação entre os entes federados e as entidades de representação da sociedade na gestão dos problemas comuns e das políticas públicas. Por outro lado, busca se compreender as razões pelas quais o funcionamento do sistema político eleitoral não favorece a constituição de representações políticas na escala metropolitana, prevalecendo a prática de aglutinação localista de interesses. Considera se também os possíveis bloqueios decorrentes das tendência s fragmentadoras dos processos de segregação e segmentação residenciais, observadas nas metrópoles. Esse conjunto de condições tende a inibir o surgimento de um sistema de atores sociais e políticos com um campo de interesses mais amplo do que o estritamente local. Os três projetos abaixo apresentados, aprofundam aspectos particulares desta problemática.

- Projeto Regimes Urbanos

Coordenação: Bárbara Lúcia Pinheiro de Oliveira França

Direito à cidade, conflitos urbanos e insurgências | EM ANDAMENTO

Pesquisadores: Rita de Cássia Lucena Velloso (Coordenação), Laura Fonseca de Castro, Taís Freire de Andrade Clark, Thiago Canettieri de Mello e Sá, Elisa Porto Marques, Marina Sanders Paolinelli, Clarissa Cordeiro de Campos, Laís Grossi de Oliveira, Marcus César Martins da Cruz, Priscila Mesquita Musa, Luisa…

Ex-pesquisadores: Julia Birchal Domingues, Ana Carolina Maria Soraggi, Florência Sosa

CAMPOS, C. C.; MARTINEZ, M. Squatting activism in Brazil and Spain: articulations between the right to housing and the right to the city. In: GRASHOFF, U. Comparative approaches to informal housing around the globe. London: UCL Press, 2020. ISBN-10: 1787355225. ISBN-13: 978-1787355224.

CANETTIERI, T.; PAOLINELLI, M. S.; VELLOSO, R. C. L. Pesquisar a cidade a partir das insurgências. Revista Políticas Públicas & Cidades, Belo Horizonte, v. 9, n. 3, p. 2359-1552, jun. 2020.

CAMPOS, C. C. Ocupações urbanas no Brasil: direito à moradia e à cidade em Belo Horizonte, Minas Gerais. In: Seminário Urbanismos e Urbanistas no Brasil, 4., 2019, Belo Horizonte.

CLARK, T. F. A. Território em Disputa: a luta da Izidora por regularização fundiária. 2019.  Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

CRUZ, M. C. M.; VELLOSO, R. C. L. Spatial Multiplicities and Urban Conflicts: An Experimental Cartography Proposal Of The Continued Condition Of Urban Un-Protection In Belo Horizonte Metropolitan Area, Brazil. In: International Conference on Cities and Change: Three Decades of Post-socialist Transition, 2019, Darmstadt. Proceedings […]. Darmstadt: TUprints, 2019. p. 478-484.

CRUZ, M. C. M. Mapa-intervenção: perturbando narrativas oficiais da cidade. In: SÁNCHEZ, F.; MOREIRA, P. C. (Org.). Cartografias do conflito: Rio de Janeiro. 1. ed. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2019. v. 1. p. 76-83.

LANA, H. F. A. M.; GROSSI DE OLIVEIRA, L.; MEDICI, B. C.; SILVA, L. F. Autogestão como horizonte: alternativas e entraves ao planejamento urbano na cidade sul-americana. Apresentação. In: Encontro da Associação de Escolas e Faculdades Públicas de Arquitetura da América do Sul, 38., 2019, Belo Horizonte. Anais eletrônicos […]. Campinas: Galoá, 2019.

LISIAK, J.; CLARK, T. F. A. Cenário das lutas urbanas brasileiras: a perspectiva plural das disputas. Apresentação. In: Encontro da Associação de Escolas e Faculdades Públicas de Arquitetura da América do Sul, 38., 2019, Belo Horizonte. Anais eletrônicos […]. Campinas: Galoá, 2019.

MARQUES, E. P. Imagined water: between desire and the production of nature in the city of Belo Horizonte, Brazil. Apresentação. In: Flows of Entanglement: how rivers shape identities, 2019, Plymouth, Reino Unido. Plymouth: Unversity of Plymouth, 2019.

MUSA, P. M. Contra-Ciudades: Narrativas de Instabilidad. In: Seminário Internacional Políticas de la Memória: Crisis del presente y disputas por la memoria, 12., 2019, Buenos Aires. Buenos Aires: Espacio Memoria y Derechos Humanos (ex Esma), 2019.

MUSA, P. M. Narrativas Fotossensíveis em Belo Horizonte: A Política no Olhar de Mana Coelho. In: Congreso Ibero-americano de Historia Urbana, 2., 2019, Cidade do México. Cidade do México: Asociación lberoamericana de Historia Urbana, 2019. p.1832 – 1842.

PAOLINELLI, M. S.; CANETTIERI, T. Dez anos de ocupações organizadas em Belo Horizonte: radicalizando a luta pela moradia e articulando ativismos contra o urbanismo neoliberal. Cad. Metrop. [online]. São Paulo, v. 21, n. 46, p. 831-854, ago. 2019. 

DOMINGUES, J. B. Esfera pública, comunicação e reconhecimento: reflexões sobre discursos e representações no planejamento urbano participativo municipal. 2018. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

CASTRO, L. F. Uso desviado do espaço. 2016.  Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

Projeto Lutas Urbanas, Direito à Cidade e Comum Urbano, uma cooperação internacional CAPES/STINT, em parceria da EA/UFMG, UFSJR e a Universidade de Upsala, Suécia

PAOLINELLI, Marina. Sobre o arquiteto-pesquisador-militante e lições da Geografia” aceito pela Revista Virus 

VELLOSO, Rita; CANETTIERI, Thiago; PAOLINELLI, Marina. um capítulo de livro sobre Spatializing Authoritarianism

VELLOSO, Rita; CAMPOS, Clarissa. Heuristic Cinema?, em análise para possível publicação como ensaio no blog e no site do International Journal of Housing Policy.

Workshop – Linha do Tempo das Ocupações Urbanas na RMBH, realizado como parte das atividades para organização do livro digital sobre os 10 anos de ocupações urbanas na RMBH.

 

iii) Seminário Vinte e cinco anos da Política Municipal de Habitação de Belo Horizonte

Direito à cidade e regulação urbano-ambiental | EM ANDAMENTO

Busca identificar impactos e analisar conflitos ambientais em escala supramunicipal relacionados a funções públicas de interesse comum, discutindo e elucidando a efetividade da regulação urbano-ambiental no território metropolitano, com foco na dimensão da participação cidadã dos processos de licenciamento ambiental e urbanístico em nível local.

Pesquisadores: Rogério Palhares Zschaber de Araújo (Coordenação), Luciane Mitraud de Carvalho, Emília Teixeira Mendes Oliveira, Leonardo Batista de Andrade

Ex-pesquisadores: Bruna Rodrigues Souza e Silva

ARAÚJO, R. P. Z.; OLIVEIRA, E. T. M.; SILVA, B. R. S. Da mitigação à mitigação adaptativa: os (des)caminhos da aplicação recente do Estudo de Impacto de Vizinhança na RMBH. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Tempos em/de transformação – Utopias, 18., 2019, Natal; VALENÇA, M. M.; MEDEIROS, S. R. F. Q. (Org.). Anais […]. Natal: EDUFRN, 2019.

ARAÚJO, R. P. Z.; ANDRADE, L. B. Entre o Público e o Privado: reflexões sobre as Operações Urbanas Simplificadas em Belo Horizonte. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Tempos em/de transformação – Utopias, 18., 2019, Natal; VALENÇA, M. M.; MEDEIROS, S. R. F. Q. (Org.). Anais […]. Natal: EDUFRN, 2019.

SCHVARSBERG, B.; ARAÚJO, R. P. Z. Fronteiras e embates entre a regulação urbano-ambiental e a gestão integrada do território. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Tempos em/de transformação – Utopias, 18., 2019, Natal; VALENÇA, M. M.; MEDEIROS, S. R. F. Q. (Org.). Anais […]. Natal: EDUFRN, 2019.

ARAÚJO, R. P. Z. Regulação ambiental no espaço urbano da metrópole: impactos das inflexões ultraliberais recentes na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Resumo. In: Congresso Observatório das Metrópoles 20 Anos – As Metrópoles e o Direito à Cidade: dilemas, desafios e esperanças, 2018, Rio de Janeiro. Caderno de resumos. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2018. p. 435-437.

Direito à cidade e transformações urbanas | EM ANDAMENTO

Busca-se compreender: i) as mudanças na composição social do Centro e dos bairros do entorno em diálogo com as discussões sobre processos de gentrificação e renovação urbana implementados pelo Estado e pelos grupos privados; ii) as mudanças que se processaram nas últimas décadas na gestão da cidade, tendo como contexto a passagem de um governo com uma coalizão de partidos de esquerda para uma gestão de caráter empresarial e, mais recentemente, os possíveis efeitos da crise institucional nacional sobre a gestão municipal e; iii) a composição e os tipos de movimentos de resistência às políticas de caráter elitista e empresarial, assim como os seus resultados.

Coordenação: Luciana Teixeira de Andrade

ASSIS, L. M. L. Interações nos espaços comerciais: um estudo sobre sociabilidade no bairro Anchieta em Belo Horizonte. In: 31ª RBA -Reunião Brasileira de Antropologia, 2018, Brasília. Anais […], 2018.

ASSIS, L. M. L. Mudanças residenciais e comerciais: um estudo sobre processos de renovação urbana no bairro Anchieta, Belo Horizonte. 2020. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020. 

FIGUEIREDO, Paula de Senna. Resistência Cultural e Juventudes na Praça da Estação: ativismos urbanos e transformações espaciais a partir da cultura e do lazer. 2020. 167 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

FREITAS, Marcelo Braga de. A QUAL TERRITÓRIO VOCÊ PERTENCE?: A experiência da lei municipal de incentivo à cultura no fomento à produção audiovisual das periferias de Belo Horizonte. 2021. 251 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2021.

OLIVEIRA, R. R. A. Morar no centro: A experiência do retrofit em Belo Horizonte. 2020. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

SALLES, R. L. A cultura e o resgate simbólico de áreas centrais: o caso do Cine Brasil e seus efeitos em Belo Horizonte. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

VELOSO, C. S.; ANDRADE, L. T. Sapucaí Street: Entertainment Hub and Commercial Gentrification in Belo Horizonte. International Journal of the Sociology of Leisure, v. 1, p. 1-19, 2019.

VELOSO, C. S. Um bairro patrimonial: dinâmicas residenciais e comerciais do Floresta, em Belo Horizonte. 2020. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

Associativismo e territórios minerários no vetor sul da RMBH | EM ANDAMENTO

Transformações importantes na organização das cidades e das regiões marcaram o final do século XX, em decorrência dos processos de reestruturação produtiva e do rearranjo das estruturas de poder e de controle social (?). Ao mesmo tempo em que várias análises reiteram um enfraquecimento das instâncias institucionalizadas de participação social nas administrações públicas, é notável a progressiva transformação das formas de participação na direção de um maior engajamento da sociedade civil no Terceiro Setor, especialmente no trato das políticas sociais públicas. A participação das Organizações da Sociedade Civil (OSCs), especialmente em alguns municípios minerários da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), tem vinculado seus projetos sociais aos repasses das próprias empresas mineradoras que exploram esses territórios. Todas essas ações, entretanto, parecem estar orientadas mais no sentido da construção de uma imagem positiva das empresas e da obtenção de ganhos financeiros do que de patrocinar projetos de transformação das realidades locais. A hipótese aqui discutida é que um novo modelo de participação mais alinhado com a agenda neoliberal vem ganhando espaço como prática de governança, indicando uma aproximação entre sociedade civil organizada e capital privado, no sentido da implementação e gestão das políticas públicas sociais, antes a cargo do Estado.

Pesquisadores: Junia Maria Ferrari de Lima, Gabriela Rezende Coelho, Mariana Bubantz Fantecelle, Renato Barbosa Fontes, Laís Grossi de Oliveira, Jupira Gomes de Mendonça, Renata de Leorne Salles, Clara Silberschneider, Gabriel da Cruz Nascimento, Viviane Fernandes Ribeiro

Ex-integrante: Gemilson Soares da Silva Segundo

Novo regime urbano no vetor norte da RMBH: grande projeto urbano aerotrópole | EM ANDAMENTO

Pesquisadora: Bárbara Lúcia Pinheiro de Oliveira França

Política urbana x metropolitana nos municípios do vetor norte: fragilidades, entraves e possibilidades | CONCLUÍDO

Pesquisadores: Natália Aguiar Mol, Jordan de Oliveira Ferreira Cabral, Sophia Garnieri

Conselhos de política urbana em municípios do vetor norte da RMBH | EM ANDAMENTO

A presente pesquisa está vinculada ao LABURB – UFMG e ao grupo nacional Observatório das Metrópoles e está dividida em duas etapas. Na primeira, já concluída, foi analisada a inserção das políticas metropolitanas nas políticas urbanas locais dos municípios do vetor norte da RMBH, visando entender a situação das políticas urbanas locais. Nessa segunda etapa da pesquisa, busca-se analisar os conselhos de política urbana de alguns municípios do vetor norte através da análise de atas das reuniões, de entrevistas a campo a fim de identificar os principais atores, conflitos e a pauta da questão metropolitana e do desenvolvimento do vetor norte no município. A princípio, foram elencados os conselhos de política urbana dos municípios de Lagoa Santa e de Confins como objeto de estudo inicial, por se tratar de municípios diretamente afetados pela dinâmica econômica do projeto da Aerotrópole.  No entanto, a pesquisa não irá se restringir aos dois municípios, estando aberta à inclusão de outros que porventura se apresentarem interessantes.

Pesquisadores: Natália Aguiar Mol, Bárbara Lúcia Pinheiro de Oliveira França, Ana Clara Vargas de Melo e Giovana Lemos Vieira

Condições de fiscalidade dos municípios metropolitanos | EM ANDAMENTO

A presente pesquisa está vinculada ao LABURB – UFMG e ao grupo nacional Observatório das Metrópoles – UFRJ e está dividida em duas etapas. Na primeira, já concluída, foi analisada a da inserção das políticas metropolitanas nas políticas urbanas locais dos municípios do vetor norte da RMBH, visando entender a situação financeira e tributárias dos municípios. Na segunda etapa, ampliou-se o universo da pesquisa, incorporando municípios presentes nas principais regiões metropolitanas brasileiras, desenvolvendo uma metodologia e trabalhando com um banco de dados nacional, possibilitando comparações entre municípios e regiões metropolitanas. O trabalho é realizado em diálogo constante com o núcleo de coordenação de do Observatório das Metrópoles, assim como com o grupo de pesquisa que busca compreender de que forma as Finanças Municipais contribuem para o entendimento da capacidade municipal em relação às pressões de mercado, à capacidade de desenvolvimento do próprio município, e outros aspectos tratados na base conceitual relacionada aos Regimes Urbanos.

Pesquisadores: Bárbara Lúcia Pinheiro de Oliveira França (Coordenação), Jupira Gomes de Mendonça, Natália Aguiar Mol, , João Vitor Leite Rodrigues

A agenda e os projetos urbanos: Parcerias Público e Privadas e Operações Urbanas Consorciadas | EM ANDAMENTO

Pesquisadoras: Thaís Mariano Nassif Salomão; Júlia Ávila Franzoni; Luísa Lopes Greco

O Estado e sua autonomia relativa: a experiências de uma Operação Urbana Consorciada que não se concretizou | CONCLUÍDO

Busca-se identificar as características da governança urbana a partir da conformação das operações urbanas de 1996 a 2016, os cenários político-institucionais herdados, a concertação de interesses dos diversos agentes envolvidos, os arranjos formais instituídos e o perfil dos empreendimentos viabilizados.

Pesquisadores: Renato Barbosa Fontes, Léa Guimarães Souki

FONTES, R. B. O Estado e sua autonomia relativa: a experiência de uma Operação Urbana Consorciada que não se concretizou.  2020. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

FONTES, R. B. As Operações Urbanas entre a cidade-mercado e a cidade-direito: um estudo preliminar do instrumento em Belo Horizonte (1996-2016). In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ENANPUR: Tempos em/de transformação – Utopias, 18., 2019, Natal; VALENÇA, M. M.; MEDEIROS, S. R. F. Q. (Org.). Anais […]. Natal: EDUFRN, 2019.

FONTES, R. B.; SOUKI, L. G. A influência do capital sobre o Estado: revisitando a teoria geral a partir do caso das Operações Urbanas. Resumo. In: Congresso Observatório das Metrópoles 20 Anos – As Metrópoles e o Direito à Cidade: dilemas, desafios e esperanças, 2018, Rio de Janeiro. Caderno de resumos. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2018. p. 359-360.

FONTES, R. B. Espaço, Sociedade & segregação: considerações sobre as interações sociais em situações de pobreza. Revista Café com Sociologia, v. 7, n. 2, p. 7-17, mai./jul. 2018.

FONTES, R. B. Governança empreendedorista e políticas urbanas: breves considerações sobre a transferência internacional de ideias. TECER (BELO HORIZONTE), v. 10, p. 137-145, 2017.

FONTES, R. B. Governança Urbana e Operações Urbanas: contribuições para pensar a relação entre poder público, mercado e sociedade.. In: XV Simpósio Nacional de Geografia Urbana, 2017, Salvador. Anais […]. Salvador: UFBA, 2017. p. 1-20. 

FONTES, R. B. Gestão Urbana entre a Cidade-mercado e a Cidade-direito: as operações urbanas consorciadas em Belo Horizonte. In: XV ENPESS – Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social, 2016, Ribeirão Preto. Anais […]. Rio de Janeiro: Abepss, 2016. v. 15. p. 1-12.

LINHA 4 - Estratégias Metropolitanas e o desenvolvimento urbano

Desenvolver os projetos 4.1 “Monitoramento do desenvolvimento urbano local para caracterização dos regimes urbanos das metrópoles brasileiras” e 4.2 “Fóruns sobre as metrópoles e o desenvolvimento urbano e formação de atores para a democracia urbana e a cidadania metropolitana”.

- Fóruns de Desenvolvimento Metropolitano

Os Fóruns Locais de Desenvolvimento Metropolitano são produtos previstos na Linha 4 do Projeto INCT/Observatório das Metrópoles. Tendo se iniciado em 2018, os fóruns ocorrem uma vez por ano e incorporam, a cada edição, um tema de importância metropolitana, sendo a decisão resultante não apenas desse aspecto, mas imprescindivelmente do envolvimento de pesquisadores do Núcleo. Tal requisito está vinculado à necessidade de se constituir uma equipe para a organização do Fórum e à possibilidade de articulação com outros atores e grupos relacionados ao tema, essencial para a produção do evento e para sua divulgação. Os fóruns têm como objetivo promover a articulação entre sociedade civil, academia e poder público visando discutir e construir ações alinhadas com temas centrais à vida metropolitana e, especificamente, à Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

I FDM: Mobilidade Urbana | CONCLUÍDO

Nos dias 9 e 10 de novembro de 2018, foi realizado em Belo Horizonte, na Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (EA-UFMG), o I Fórum de Desenvolvimento Metropolitano RMBH, com o tema Mobilidade Urbana, buscando envolver um público ampliado e interessado em debater e construir propostas para a  mobilidade na RMBH.

O evento contemplou atividades simultâneas, como oficinas, intervenções artísticas, instalações, exposição de trabalhos e comercialização de pequenos produtos em feira aberta, além de palestras e debates. Foi aberto um edital público para chamada de atividades de maneira que grupos, organizações e demais interessados pudessem inscrever trabalhos e propostas para compor a programação do evento. Mais de 30 propostas foram enviadas e a maior parte foi incorporada na estruturação do Fórum. Assim, atores diversos se reuniram para a apresentação de pesquisas, planos, discussões e experiências ligadas à mobilidade urbana.

Foram mais de 400 inscritos e 240 participantes efetivos durante os dois dias do evento, incluindo moradores de pelo menos 15 municípios da Região Metropolitana, além de apresentações do Rio de Janeiro, de Salvador e uma videoconferência de Santiago. Estiveram presentes pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação, professores, representantes de movimentos sociais e coletivos metropolitanos, gestores públicos, além de interessados em geral, participando das atividades selecionadas pelo edital ou organizadas pela coordenação do evento. 

Pesquisadores: Junia Maria Ferrari de Lima (Coordenação), Ana Marcela Ardila Pinto, André Henrique de Brito Veloso, Cintya Guedes Ornelas, Guilherme Lara Camargos Tampieri, Helena Carvalho Coelho, Junior Silva, Luana Silva Costa, Lucas Yuri Alves Zanatta, Luísa Lopes Greco, Marcelo Cintra do Amaral, Marina Abreu Torres, Thaís Mariano Nassif Salomão

Parceiros: Nossa BH, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, Escola de Arquitetura da UFMG, BH em Ciclo, Tarifa Zero.

II FDM: Economia Popular Urbana | CONCLUÍDO

O II Fórum de Desenvolvimento Metropolitano da RMBH aconteceu nos dias 8 e 9 de novembro de 2019, na Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (EA-UFMG). O evento teve como objetivo promover discussões e trocas de experiências em torno do tema central a Economia Popular Urbana, especialmente no que diz respeito ao seguinte recorte: “Do direito à cidade ao direito ao trabalho – economia popular no contexto metropolitano”. O objetivo é trazer à discussão as diversas formas de produção, consumo, circulação e formação de redes que vêm sendo estabelecidas no território metropolitano. A escolha do tema ocorreu em decorrência da premente necessidade de se criar espaços de debate sobre as ações, situações e cenários da economia popular urbana, sua intrínseca relação com a metrópole e o espaço público, bem como com as políticas e estratégias de planejamento dos órgãos públicos fundados na justiça social e na democracia.

O evento contemplou oficinas, rodas de conversa, apresentação de trabalhos, palestras, mesas-redondas, exposição fotográfica e comercialização de produtos em uma feira de economia popular. Para isso, foi aberto um edital público com chamada para que grupos, organizações e demais interessados pudessem inscrever trabalhos e propostas para compor a programação do evento. Foram recebidas 16 propostas, das quais 14 compuseram a programação do fórum. Assim, atores diversos se reuniram, ao longo dos dois dias de evento, para a apresentação de trabalhos, pesquisas, discussões e experiências ligadas à economia popular urbana.

Foram realizadas 160 inscrições com 87 participações efetivas no evento. Estiveram presentes pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação de diversos cursos, professores, representantes de movimentos sociais e coletivos metropolitanos, gestores públicos, além de interessados em geral, participando das atividades selecionadas pelo edital ou organizadas pela coordenação do evento. 

Pesquisadores: Junia Maria Ferrari de Lima (Coordenação), Jupira Gomes de Mendonça (Coordenação), Alan Henrique Delfino França Fonseca, Evandro Luís-Alves, João Vitor Leite Rodrigues, Juliana Teixeira Gonçalves, Luísa Lopes Greco, Mariana Bubantz Fantecelle, Natália Alves da Silva, Túlio Queiroz de Freitas.

Parceiros: Núcleo Alter-Nativas/UFMG, Escola de Arquitetura da UFMG, Brigadas Populares, Corecon-MG, Gabinetona/CMBH.